quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Em 2010, TOLERÂNCIA!

Do mesmo jeito que nunca entro no clima natalino, sempre curto a virada de ano.
Pelo menos na minha vida, sempre tomo iniciativas que me fazem acreditar em algo novo.
Costumo renovar as esperanças do peito e me dano a fazer planos, que, creiam, consigo executar na maioria. É claro que o segredo disso é não prometer aquilo que você nunca pode cumprir, como "Prometo que nunca mais vou beber tanto!". Não, er... eu só prometo o que posso dar conta. Isso é ser leal consigo mesmo.

Também costumo me concentrar em avaliações do ano velho e nas minhas orações. Orações que possam me confortar e contribuir com uma vida melhor para mim e meus pares.

No último reveillon, a única coisa que vinha nas minhas orações era tolerância.
Como eu gostaria de um mundo mais tolerante. Tu não?

Imagina um trânsito onde as pessoas não dirigissem tão agressivamente (viu, Leiskinha?!!)?
Pais que fossem mais compreensivos com os problemas e dificuldades dos filhos e vice-versa?
Pessoas que não brigassem por qualquer bobagem?
Líderes religiosos que não ordenassem a morte por pura diferença?
Ah, enfim... antes que isso vire uma lista babaca, pensa tu aí, quantas coisas seriam diferentes se todos nós fossemos mais tolerantes com o outro?

Pois é!
Agora pensa e aplica!
Não adianta fazer discurso vazio.
Da minha parte, juro que estou me esforçando. Hoje não xinguei ninguém na rotatória da Júlio César.
Fora outros probleminhas particulares que têm me obrigado a ter uma tolância que vocês nem queiram imaginar.

É, amigos! A vida é mais legal assim. Podem apostar.

Agora, por favor, não confundam tolerância com fechar os olhos!
Existe um bando de &#$%# que não merece qualquer tolerância nem da minha, nem da sua parte.

Um super 2010 pra vocês!

=====

Atualizado em 07/01, às 11h17

Eu juro que estou tentando ser tolerante também com os incompetentes e descompromissados que cruzam meu caminho. Nem tô chamando nome pra mãe deles.
.

Um comentário:

Yúdice Andrade disse...

Assino embaixo. Beijo.