domingo, 13 de março de 2011

Um viva às mães de família!

Quem acompanha este blog, sabe que não sou afeita à lutas de gênero, nem discursos feministas. Deixa isso pra quem tem o dom.
E não é meu caso.
Mas neste ano, a semana do Dia Internacional da Mulher me fez refletir sobre um aspecto especial: as mães de família.

Sempre achei muito corajosa a atitude da minha mãe, que conseguiu dar um basta nos maus-tratos do marido (leia-se meu pai), denunciando-o à Polícia e se separando mesmo com três filhos pequenos. Eu estava prestes a completar 5 anos e meus irmãos a completar 4 e 2 anos.
Passamos por muitas dificuldades e (acreditem!) até preconceito. Éramos os filhos da mulher separada.

Um pouco depois da separação, minha mãe começou a trabalhar na Prodepa, onde está até hoje. Contratada como nível médio, tinha um salário muito esguio para as nossas necessidades, o que a obrigava a ter muitas outras atividades. Cresci vendo - e, às vezes, ajudando - minha mãe carregar sacolas de venda. Vendia roupas, bijouteria, langerie. Fazia de tudo para completar a renda.
Ainda assim, nunca faltou a uma festa ou reunião na escola. Nunca foi negligente com a nossa saúde e educação. Nunca deixou de nos dar muito carinho.
Foi também muito dura conosco. Levamos muito castigo, muita bronca e muitas cinturadas.

A história da minha mãe sempre me encheu de orgulho.
A coragem dela de romper com as conveniências e lutar honestamente é digna de muito respeito.
E na semana em que saudamos as mulheres de forma especial, não poderia deixar de saudar a mulher mais admirável que já conheci na vida.

Eu me esforço muito para seguir seus passos. Mas acho que tenho medo de sofrer no futuro das mesmas angústias que ela. Ou vocês acham que uma história de vida com tantas de dificuldades como a dela não deixa sequelas emocionais e psicológicas? Não há quem não se marque com o sofrimento. É preciso muita coragem pra enfrentar isso.

Dona Wanda Fernandes Caxias, eu tenho muito orgulho da senhora!
E em seu nome saúdo todas as mulheres que buscam ser protagonistas de sua própria história, mesmo que isso lhes custe um pouco mais da vida.

2 comentários:

Bem vind@s! disse...

Bela homenagem! de certa forma, me sinto contemplada! beijão

J. disse...

Verdade! Se tem uma coisa q mamãe dizia sobre vcs é q a D.Wanda não deixava vcs ficarem na rua, cobrava mto de vcs na escola e q vcs, assim como eu, tb levavam surra de cinto, hueheuheuheuheue!

Bjs, querida!

Paulinha, vulgo Joana.