segunda-feira, 21 de março de 2011

Dois pesos e duas medidas

Não gosto da expressão Partido da Imprensa Golpista, o tal PIG. Pra mim isso é mania de perseguição.
Mas não há como deixar de concordar com quem diz que há dois pesos e duas medidas na tinta usada pela imprensa na cobertura de gestões de governo, sejam elas municipais, estaduais ou federais. Vide o que está acontecendo aqui no Pará.

Quando a ex-governadora Ana Júlia Carepa (PT) optou por desativar a então residência oficial do Governo do Estado, em 2007, o mundo acabou. A Granja do Icuí estava deteriorada e precisava de uma grande reforma para garantir segurança para um governador. A solução encontrada pela Casa Militar na época foi alugar uma casa em um condomínio fechado. O valor custaria R$ 70 mil/ano.

Pronto! Não se falava em outra coisa. Jornalistas atiçados. Teve uma equipe de TV que, para vender sua matéria para a rede nacional, chegou a filmar a casa por cima do muro, no melhor estilo paparazzi.
Tudo muito patético E a imprensa nacional comprando tudo aquilo.

Obviamente, a oposição da época fez seu alarde. Trataram o caso como o pior feito da humanidade. Oposição é oposição. Até entendo que tenham feito seu barulho. A oposição!

Eis que agora os personagens mudaram de lado. O atual governador Simão Jatene (PSDB) também teve que providenciar uma residência oficial alugada.  Quando desativou a Granja Icuí, Ana Júlia cedeu o espaço para a construção de moradias populares e de um campus da UEPA em Ananindeua. A diferença é que o valor do aluguel a ser pago agora por Simão Jatene vai custar o dobro do que custou a casa escolhida pela ex-governadora: R$ 158 mil/ ano*.

E aí? Como está reagindo a imprensa?
Ah, para quê falar disso? Há coisa mais importante para cobrir, né?
Eu até concordo! Da mesma forma que havia 4 anos atrás, mas o entendimento era outro.

No twitter, jornalistas que no passado jogaram pedra, hoje estavam tirando por menos. Pra quê falar de um assunto tão bobo desse, né? Houve quem tenha chamado o debate sobre o tema de "papo de comadre". Mas as comadres gostaram de falar quando o governo em questão era outro, né?

É claro que não existe imprensa imparcial. Mas precisa haver o mínimo de equidade, não acham?


============


*Vamos combinar que se trata de um valor irrisório por se tratar da segurança da maior autoridade do Estado. O debate proposto aqui é "Se caíram de pau quando o valor foi R$ 70 mil/ano, porque não agora que é o dobro?"

3 comentários:

felipe disse...

Mas tb é preciso levar em consideração que a Ana Júlia fez uma reforma na casa alugada no valor de R$ 230 mil. Ao invés de usar dinheiro público para reformar o Icuí, preferiu valorizar a casa dos outros.

Comparando o valor do aluguel do Jatene com o da Ana Júlia mais a reforma, percebe-se que a Ana Júlia gastou mais do que o careca vai gastar.

De qualquer jeito, os dois tão errados. Se existe a residência oficial, que ela seja usada.

Cléoson Barreto disse...

Olá!
Tem um dado que não ficou muito claro pra mim: se em 1 ano a ex-gov. Ana Júlia gastou 70 mil reais de aluguel e em 2 anos o gov. Simão Jatene gastará 158 mil reais, então ele não vai gastar o dobro da ex-governadora, correto? Ele gastaria um pouco mais, mas gastaria 79 mil reais por ano, ou seja, 9 mil reais a mais que sua antecessora. Concorda comigo? :-)
Um abraço!

. disse...

Cléoson, bem observado!
Mas o erro foi meu.
R$ 158 mil/ano.

Vou corrigir!