terça-feira, 2 de março de 2010

Telejornalismo pode ser mais que a forma

É muito chato assistir a telejornais, com todos os repórteres falando daquele mesmo jeito cantado.
Mesma entonação, mesma expressão.
E quando começam na profissão, que obrigam os pobres a se empetecarem de qualquer jeito! O sujeito está numa periferia, num bairro arrasado pela pobreza, mas grava a passagem de vídeo e as entrevistas com seu terno bem cortado (às vezes nem tanto), com aquela roupa que impõe uma impáfia que já deixa bem claro a divisão que existe entre o "astro da TV" e os reles mortais. Imagem que parte dos repórteres de TV gostam de passar: somos estrelas.

Lembro de uma matéria que fui fazer para a rede, quando trabalhava na TV Cultura, no início de 2001, em Salvaterra, no Marajó. Era sobre uma área de mangue preservada que estava sendo degradada. A passagem de vídeo seria gravada de uma voadeira, de onde era possível mostrar o local atingido pelo crime ambiental. Portanto, por medida de segurança, eu teria que estar com colete salva-vidas. Como o vento era forte, prendi o cabelo para evitar que a cabeleira atrapalhasse o meu trabalho.

Quando a matéria foi ao ar, no Jornal Cultura, então ancorado por Heródoto Barbero e Valéria Grilo, o apresentador fez, ao vivo, comentários positivos sobre o VT. Já a minha diretora na TV no Pará, horas antes, havia me repreendido. "Isso não é jeito de aparecer na TV. Seu cabelo estava horrível e aquela roupa parecia que estávas indo para a praia".

É, para muita muito gente TV é fórmula. Eu condeno isso. E por isso, na fantástica experiência que tive como professora de Tele e Radiojornalismo na UFPA, durante um ano, tentei combater a imposição da chapinha e outras superficiliadades que em nada contibuem com a informação que deve chegar ao telespectador. Que nada contribue para a formação de uma sociedade crítica.
Para finalizar, recomedo um vídeo-comédia, apresentado pelo humorista Rafinha Bastos, ironizando o telejornalisto "bolo pronto". Peguei o link do blog do professor Fábio Castro. Vale!

3 comentários:

Francisco Rocha Junior disse...

Sensacional! Levei lá pro Flanar, também.

Carlos Barretto disse...

Espetacular!

Anônimo disse...

SOBRE A TELEJORNALISMO..PARARAENSE:
UMA CAOS!
ESTOU COM VC!PROFESSORA:
ABAIXO AS CHAPINHAS E OXIGENDAS..
ABAIXO O OLHAR 45 NA CAMERA!
TEXTOS ROBUSCADOS, DIZENDO O ÓBVIO
E ESTRAFANDO O TRABALÇHNDO DO
EDITOR...
AS "MENINAS " ESTÃO MUITO PREOCUPADAS
COM A " BELEZA' E MUITO MENOS COM
A CERTEZA DA "NOTICIA".