quarta-feira, 6 de maio de 2009

O amor sincero

Ela se olha no espelho com expressão de medo.
- Amor, meu cabelo está estranho, meus cachos não querem mais enrolar direito. Tô me sentindo feia.
- Não, amor, você não está feia.
- Mas olha aqui meu cabelo, meus cachos estão alisando aqui atrás.
Ele se aproxima, acaricia o seu rosto e a consola.
- Deve ser o estresse, querida.
- É, deve ser...
- Sabe, você está muito diferente de dois anos atrás, quando nos conhecemos na UFPA.
- É? Diferente como?
- Diferente...
- Mais estressada?
Os carinhos no rosto continuam.
- Não. Mais velha, bem mais envelhecida. Você envelheceu muito de lá pra cá. Vai ver que é isso.

=====

É possível duas análises sobre o diálogo acima.
1 - A romântica: Ele é tão apaixonado que a ama mesmo com cabelo esticado pela natureza e com a cara de Hebe Camargo.

2 - A pessimista: Se ele fala isso fazendo carinho, imagina o que é capaz de falar em momento de briga conjugal...

3 comentários:

Carlos Barretto disse...

Putz! Crack!
Isso aconteceu mesmo?

. disse...

É triste... mas isso aonteceu!

meiodcampo disse...

É triste? Poxa, eu quiz mostrar que o alto nível de preocupação que estas. Faltou vc acrescentar o comentário que veio depois deste dialogo.

"Querida, ou você achas que somente aquelas pessoas que estão em cargos importante (igual ao seu) que você aponta estão envelhecidas?"

bjs!