domingo, 15 de março de 2009

Quanto mais, melhor

Tenho percebido que envelhecer faz bem.
A beleza, o charme, o encanto, o brilho no olhar, a capacidade de seduzir, a sagacidade, o repertório. Como é gostoso se sentir mais interessante.
Antes a maturidade me assustava. Mas é só perceber que ela é aliada que tudo muda. Até o tom da voz.
Que venham os próximas dias. Sedenta por eles.

10 comentários:

Anônimo disse...

acabou a síndrome?

. disse...

Não. Jamais!
Continuo me achando uma ninfeta. Só que tenho convivido melhor com os ares de balzaquiana que insistem em chegar, heheheheh

Anônimo disse...

Não falei? Com todo o respeito, é claro...
Artur Dias

Marie disse...

É isso aí! Abaixo essa história de crise dos 30, isso já datou.

Bjos

Anônimo disse...

tou falando da síndrome de peter pan!

Belenâmbulo disse...

Eu tive medo dos trinta. Mas eles passaram que nem percebi. Aliás, hoje também me sinto bem melhor em todos os aspectos. Agora temo os quarenta. Tomara que aconteça algo semelhante, e eu tenha outra surpresa agradável.

Abraço

. disse...

Há de ter...

Lorena Filgueiras disse...

Ei Leiska, Balzac é que sabia das coisas. Tô contigo nessa: a mulher balzaquiana é tãããããããão mais interessante.
Beijos.

p.s.: tens tempo para um tricô na segunda de noite? Eu levo um sanduba melhorado e tu entras com o café, topas?

. disse...

Tô dentro, Lorena!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Fernandes, a única maneira de viver mais é deixar o tempo passar. De preferência com bons passatempos.

Xará Fernandes