terça-feira, 24 de novembro de 2009

Impressões sobre o ineditismo

Por André Consta Nunes

Não sei se vai acontecer amiudemente este tipo de encontro da governadora com os blogueiros. Nem sei se vai acontecer outra vez, mas o estrago está feito. Ela inovou, saiu na frente, quem quiser que corra atrás.

Não precisava ser café da manhã, mesmo sendo na hora que foi, assim como, se fosse à noite, não necessitava coquetel. Talvez fosse mais apropriado um cofibreique, embora, eu, pelo meu gosto, sugerisse champanha. Espumante nacional, mesmo. Farto e generoso. Sem essa do politicamente bem comportado, afinal tratava-se de uma inauguração. O lançamento de uma nova moda. A aceitação do futuro inexorável, do novo, que chega atropelando, benfazejo. E a resistência ao novo, à evolução política, é o que se costuma chamar de “reação”. Palavra tornada arcaica, como tantas outras ( camponês, subdesenvolvido, direita, esquerda, socialismo ), exatamente pela imprensa “reacionária” forte antes, durante e depois da ditadura.

Quem for democrata sobreviverá aos blogs democráticos. É, porque há também blog do mal e de mau, mas sinto que a galera do bem, do bom, acabará por impor-se exatamente por esses atributos.

Não importa o resultado prático deste encontro. Se convenceu, se deixou a desejar. Importa, sim, e muito, que ele houve. Ainda não sei o que ocorreu por lá. Poderia ser melhor? Talvez. Sempre se pode melhorar.

Imagina se a moda pega? Maranhão, São Paulo, Rio, Rio Grande do Sul, Ceará.
Acorda, André, é muita viagem!

André Costa Nunes


*Mensagem deixada na caixinha de comentários

Um comentário:

Tanto! disse...

Rapaz... acompanhando notícias sobre o encontro me deparei com coisas muito estranhas, mas acho que esse comentário do André Nunes foi perfeito!

"Quem for democrata sobreviverá aos blogs democráticos. É, porque há também blog do mal e de mau, mas sinto que a galera do bem, do bom, acabará por impor-se exatamente por esses atributos."