domingo, 30 de novembro de 2008

A(!) programação de sábado

"Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite".

Musiquinha chata, que faz muito sentido.
Achei que ia aproveitar que a cidade está limpa hoje e ia circular. "Todos os homens que prestam em Belém estão fora do Parafolia. É hoje que eu acho 'algo' que preste nessa cidade", pensei e fiz toda uma programação.

Eis que a Super não quis colaborar com a mamãezinha dela e resolveu que não ia para a casa da vovó. Como ela anda muito obediente e comportada ultimamente e dá sinais de que vai pegar uma gripe, não impus a moral da mãe (sabe como é, às vezes tem que ser assim).

Por volta das 21h30, eu com aquela cuíra de estar na rua e ela me convida para separar brinquedos. Minha vontade era de realmente fazer triagem neste sábado, mas não essa!
- Agora? É hora de dormir, Dadá.
- Mãe, por favor, me ajuda a separar os brinquedos.

Ok, ok. Sou uma mãe participativa.

- Esse sim. Esse não. Esse... ai, será que sim? Não sei...

Depois de mais de uma hora de trabalho, coluna doendo, dúvidas tiradas e alguns remendos (colocar cabeça de boneca, braço de palhaço etc), terminamos duas sacolas separadas.

Lembrei das orações da minha gravidez e, principalmente, do único pedido que fiz à Deus na hora que entrei na sala de parto. "Papai do Céu [eu chamo ele assim], faz com que esse serzinho faça muita diferença no mundo e que ela venha pra ajudar muita gente, que essa seja a missão dela, ajudar".

Este sábado foi além do que eu esperava. Foi um dos momentos de concretização de um pedido que fiz à Ele, na situação mais mágica da minha vida, ocorrida 5 anos e meio atrás.

É muito satisfatório ver teus sonhos se realizando naquilo que tu já fizeste de melhor na vida.
E estas duas sacolas de supermarcado, separadas para a campanha de doação de brinquedos da escola da amiguinha dela que pediu ajuda, signicam examente isso.

Valeu, Papai do Céu!

==========
(Ando com uns papos muito mela-cueca, né? Eu sei. Não tô nem aí. Aqui eu falo o que eu quero, lembra?)

4 comentários:

Maíra disse...

É... nosso sábado não foi extamente o que esperávamos né?
Mas o teu ao menos foi bem proveitoso e cheio das "orgulhanças" da vida!
Fiquei aqui pensando com meus botões: será que se eu tivesse te ligado eu teria passado o sabado aí separando brinquedos contigo e Super??
Teria sido bem mais divertido que com o Serginho Groismann (é assim?).
Ah, com certeza!
Beijocas às duas!

Thica disse...

Hoje eu tava em frente ao Bosque e repentinamente lembrei do seguinte texto:

Nós - Só tem gente u ó em comunicação.
Personal Trainer da Cia Ahlética - E pq vcs fizeram comunicação?
Nós - Por somos u ó!!!!!

Eita saudade de ti!

Marília Salles disse...

Como você mesma já escreveu... sempre ela... esta menina vai longe! acho linda a relação de vocês duas de mãe e filha... é fascinante! Beijos.

Luciane Fiuza disse...

"Sábado à noite tudo pode acontecer..."
Que lindo, Waleiska!!! É uma benção ter uma filha dessas: super-hiper-mega. Filhas únicas às vezes não demonstram tanta generosidade. Parabéns para a família participativa (gostei disso!)
Bjs!
Lu.