sábado, 22 de maio de 2010

Trevo de quatro pétalas

Se tem uma coisa que eu tenho na vida é sorte.
Nunca ganhei na sena. Nunca acertei um prêmio fantástico.
Mas todas as vezes que eu preciso, passa pela minha frente a pessoa exata.
No meio de milhões, eu cruzo justamente com aquela que me fala, me ouve, atende, me ajuda exatamente da forma como eu necessito.
E vou ainda mais longe. Parte do que sou e tenho eu devo a essas pessoas.
Não cabe aqui nominá-las. São muitas! Centenas, milhares!
São quase 30 anos cruzando com boas almas.
Quando paro pra pensar nisso, até me emociono. Caramba...!

Só para citar um exemplo, quem acompanha este espaço sabe que ando num período decisões importantes na minha vida, além de estar com problemas de saúde.
Existe uma pessoa com quem falo com certa freqüência, por conta do meu trabalho, há quase 3 anos, sem nunca tê-la visto. Só e-mails e telefonemas. E foi justo nesta semana, com a cabeça fervilhando, que eu a conheci pessoalmente para tratar de algo que nada tinha a ver com as confusões da minha cabeça, nem com trabalho. Pouco sabíamos uma da outra, a não ser aquele preciso assunto com o qual lidamos em nosso dia a dia. No meio da conversa, ela começou a contar histórias e eram exatamente as que eu precisava ouvir. Sim, eu tive mais uma vez a sorte de conhecer a pessoa certa na hora certa. Ela matou a charada de tudo!!!

Que Deus me abençoe e faça com que essa sorte se mantenha.

2 comentários:

Ao redor disse...

Leiska,

Ler essas coisas me faz lembrar o tão especial que tu és! Nossa! Saudades amiga. Continuo amando teu jeito de ver a vida. Te amo! Beijos

. disse...

Neyloca, tu és dessas almas!
Lembra daquela madrugada de sábado, em agosto de 2004, quando me resgataste em frente ao Detran de SP?
Foi um dia de muito desespero e sofrimento e tu estávas lá!
Nunca esqueço essas coisas.