segunda-feira, 6 de outubro de 2008

TSE, o Papai Noel não existe?

Eu não acredito em dinossauro. É, não acredito (e pense você o que quiser pensar).
Eu não acredito em outros avanços da ciência.
Mas na lisura do processo eletrônico eleitoral brasileiro sempre acreditei. Acho o máximo as maquininhas que nos permitem o voto seguro. ´
Sempre foi tão confortável para a minha mente, tão romântico pensar que as pessoas iam lá votar de forma segura. Digitavam o número de seus candidatos e lá estava a foto do sujeito e tudo certo.
Dava até um orgulho ver aquela bagunça nas apurações das eleições americanas se arrastando por dias, semanas, enquanto a nossa, em horas, permitiam os resultados lá, todos prontinhos. Coisas do Brasil que deu certo.

Eu sempre acreditei nisso até ontem.
Quase toda a minha família vota em Ananindeua e quase todo mundo voltou das urnas com o mesmo relato: a máquina estava quebrada.
Como assim quebrada?
Minha cunhada foi votar e não viu a foto do candidato!!! Meu Deus!!!
Como pode isso?
É como uma criança de 3 anos acordar na manhã de 25/12 e não ver o presentinho lá embaixo da cama, na janela ou em qualquer cantinho da casa, deixado pelo Papai Noel. Isso simplesmente não existe!
É muito cruel por parte do Tribunal Superior Eleitoral me fazer crer que o sistema de voto eletrônico não é seguro.
Estou em crise.
Tenho um primo que nem conseguiu votar. O mesário disse que ele devia procurar o cartório eleitoral porque a máquina estava quebrada. Ora, e as cédulas de papel? Porque não deram uma assim pra ele votar?
Preciso de um terapeuta.
Não estou podendo com essa decepção!
Claro que minha crise só não está maior do que a da Valéria (rá, bem feito pra ela!).

2 comentários:

Helaine Martins disse...

hahahahaha
minha mãe diz que, definitivamente, ela só "serve" pra vice!!!

Marie disse...

Pois é, eu acredito mais nos dinossauros do que na democracia e mais ainda no Coelhinho da Páscoa do que na transparência do sistema eleitoral...