segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Flexa no Pé

Se você não está no twitter, não deve ter tido acesso ainda.
Ei vi agora e já vou compartilhar com meus leitores.
Apresento o blog Flexa no Pé.

domingo, 26 de setembro de 2010

A mocinha e o vilão

- Mãe, a Marina não é bandida, né?
- Não. Não é, não.
- Então a senhora só não vota porque...
- Porque eu já tenho candidato, Dalila - Eu completei.
- É. Legal!
- Teu avô ainda vai votar no Serra?
- Vai. Ele não acha que o Serra é bandido.
- Mas Serra não é bandido, Dalila!
- É, sim! Ele só faz coisas pra os ricos. Então, ele rouba dos pobres. É bandido!

sábado, 25 de setembro de 2010

É a vida!

Tem gente que veio pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai e quer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Muito mais que um jingle

ACELERA, PARÁ!

NÃO DAVA MAIS PRA FICAR
À BEIRA DA ESTRADA.
O BRASIL ACELERANDO,
OUTROS ESTADOS CRESCENDO
E O PARÁ, QUASE NADA.

A NATUREZA NOS DEU RIQUEZAS
E DEUS NOS FEZ BRAVOS E FORTES.
O QUE A GENTE PRECISAVA
ERA ARRUMAR NOSSA CASA
PRA MUDAR NOSSA SORTE.

E AGORA, O PARÁ NÃO PARA.
COM FÉ E COM GARRA,
O PARÁ VAI EM FRENTE.
PELAS MÃOS DOS TEUS FILHOS
O PARÁ TÁ NOS TRILHOS.
ACELERA, MINHA GENTE!

A NOSSA HORA CHEGOU,
JÁ TÁ LIGADO O MOTOR
E A GENTE SABE O CAMINHO.
COM LULA E DILMA AVANÇAR.
QUEM ACELERA O PARÁ
NÃO ACELERA SOZINHO

A tal ditadura

Pelo jornalista e escritor Palmério Dória:


@palmeriodoria Cuidado: se você fica vendo Mussolini e Hitler em todo canto, quando aparecer um Mussolini e um Hitler de verdade, periga não reconhecer.

.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Por um jornalismo mais responsável

Do bacharel de Direito e jornalista especialista em Mídias Sociais, Pedro Loureiro:

@Pedrox Querer comparar a Censura na Ditadura Militar com a Responsabilidade na Era da Informação é substimar a inteligência das pessoa.


A tuitada de Pedro foi publicada em meio a um debate fervoroso, em que esta que vos escreve defendia a existência de meios capazes de proteger a sociedade dessa mídia desvairada marrom, na qual está se transformando a imprensa brasileira e que opiniões divergentes apontavam esses meios de controles sociais como censura.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Mas o que está acontecendo?

Tenho ficado cada dia mais envergonhada com a postura de alguns "coleguinhas" de profissão. No caso de veículos como a Veja, já nada me espanta mais. Mas ainda me decepciono muito quando se trata de gente por quem tenho admiração.

É o caso do Marcelo Tas.
Recomendo a leitura deste blog aqui.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O Brasil sem Lula?

Estavámos indo para a escola. Como sempre, ela puxa um papo.

- Mãe, vê se eu já entendi direito essa eleição. É Lula, Dilma, Paulo Rocha, Ana Júlia, Puty e Edilson "Mário", né?
- É Edilson Moura, Dalila!
- Ah tá!
- Mas, olha, o Lula não é candidato a nada - Corrigi.
- O Lula não tá na eleição? Como não? Não é ele que cuida das regras do Brasil?
- É. Mais ou menos. É que quem está nessa eleição é a Dilma. Ela quer ser presidente do Brasil, no lugar do Lula.
- Ah....

Minutos de silêncio.

- Mas se a Dilma não ganhar, quem vai ser presidente é o Serra?
- Isso! Mas é difícil da Dilma perder.

Mais silêncio.

- Mãe, o Lula tá orgulhoso porque a Dilma quer ficar no lugar dele?
- Está, sim! Foi ele que escolheu a Dilma pra ficar no lugar dele.

Passam mais cinco minutos de reflexão.

- Mãe, mas como a Dilma vai ser presidente do Brasil? E o Lula?
- Dalila, já acabou o tempo do Lula presidente. Agora tem que ser outra pessoa.
- Mas como pode? O Lula não vai ser presidente do Brasil pra sempre?
- Não, Dalila! Ninguém pode ser presidente pra sempre e o tempo dele já acabou.
- Meu Deus! E como vai ser o Brasil sem o Lula?


==========================

*Engravidei da Dalila em agosto de 2002, no meio da primeira campanha vitoriosa de Luís Inácio Lula da Silva. Ela já estava na minha vida quando comemoramos a chegada de Lula ao poder. Dalila estava na minha barriga, na linda festa na Avenida Paulista, após o resultado do segundo turno.
Desde que se entende por gente, a minha Super convive com eleições, vê material de campanha nas estantes de casa. Sua primeira eleição viva foi na campanha da Marta Suplicy (São Paulo) e Elói Pietá (Guarulhos), em 2004.
Dalila se acostumou com esse mundo. Não estranhe seu interesse pelo assunto.
E não é toda vez que ela escolhe o mesmo candidato que eu!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

10 razões pra não votar em Dilma

Recebi isso num e-mail e achei muito bom!

=========================

10- Foi a Dilma que mostrou o fruto proibido a Eva;

9- Moisés rodou 40 anos no Deserto do Sinai, porque Dilma escondeu o mapa;

8- Deus ia fazer o mundo em 4 dias mas houve atraso na obra do PAC;

7- A Al-Qaeda era só um grupo de árabes nerds, fãs de RPG e aeromodelismo, até conhecerem a Dilma;
 
6- Dilma gostava de apertar campainha e sair correndo. “Ela fez isso duas vezes na minha casa”, revela ex-vizinha indignada;


5- Folha de São Paulo: “Descoberto plano de Dilma para secar o Aquífero Guarani”;

4- Erro de Dilma nos cálculos provocou inclinação da Torre de Pisa;

3- Dilma Roussef inventou a vuvuzela;


2- Folha de São Paulo: “Dilma lava as mãos, Cristo é crucificado”

E o #1 entre todos os #DilmaFactsByFolha:

1- Serra lamenta: "a Dilma me indicou o Shampoo.”
 



Moral da história: Quando a nossa predisposição é contrária, qualquer razão se torna uma forte razão, seja qual for o candidato de nossa preferência.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Ana Júlia no Argumento. Assista aqui

Pareço suspeita para falar, então, veja você mesmo como Ana Júlia deu um show na entrevista à Mauro Bonna, no Argumento do dia 06/09.
Segura, firme, com informações precisas e, o melhor, não se deixou ser atropelada pelo ar beligerante de Bonna.



video


video


terça-feira, 7 de setembro de 2010

Namore um barrigudinho

Este é o nome do artigo da psicóloga e sexóloga Carla Moura.
Recebi por e-mail e resolvi postar aqui porque compartilho com a teoria dela.

Tenho um conselho valioso para dar aqui: se você acabou de conhecer um rapaz, ficou com ele algumas vezes e já está começando a imaginar o dia do seu casamento e o nome dos seus filhos, pare agora e me escute! Na próxima vez que encontrá-lo, tente disfarçadamente descobrir como é sua barriga.

Se for musculosa, torneada, estilo `tanquinho´, fuja! Comece a correr agora e só pare quando estiver a uma distância segura. É fria, vai por mim.

Homem bom de verdade precisa, obrigatoriamente, ostentar uma barriguinha de chopp. Se não, não presta. Estou me referindo àqueles que, por não colocarem a beleza física acima de tudo (como fazem os malditos metrossexuais), acabaram cultivando uma pancinha adorável. Esses, sim, são pra manter por perto. E eu digo por quê.

Você nunca verá um homem barrigudinho tirando a camisa dentro de uma boate e dançando como um idiota, em cima do balcão. Se fizer isso, é pra fazer graça pra turma e provavelmente será engraçado, mesmo. Já os `tanquinhos´ farão isso esperando que todas as mulheres do recinto caiam de amores - e eu tenho dó das que caem. Quando sentam em um boteco, numa tarde de calor, adivinha o que os pançudos pedem pra beber? Cerveja! Ou coca-cola, tudo bem também. Mas você nunca os verá pedindo suco. Ou, pior ainda, um copo com gelo, pra beber a mistura patética de vodka com `clight´ que trouxe de casa.

E você não será informada sobre quantas calorias tem no seu copo de cerveja, porque eles não sabem e nem se importam com essa informação. E no quesito comida, os homens com barriguinha também não deixam a desejar.

Você nunca irá ouvir um ah, amor, `Quarteirão´ é gostoso, mas você podia provar uma `McSalad´ com água de coco. Nunca! Esses homens entendem que, se eles não estão em forma perfeita o tempo todo, você também não precisa estar. Mais uma vez, repito: não é pra chegar ao exagero total e mamar leite condensado na lata todo dia! Mas uma gordurinha aqui e ali não matará um relacionamento. Se ele souber cozinhar, então, bingo! Encontrou a sorte grande, amiga. Ele vai fazer pra você todas as delícias que sabe, e nunca torcerá o nariz quando você repetir o prato. Pelo contrário, ficará feliz.
 
Outra coisa fundamental: Homens barrigudinhos são confortáveis!


Experimente pegar a tábua de passar roupas e deitar em cima dela. Pois essa é a sensação de se deitar no peito de um musculoso besta. Terrível!

Gostoso mesmo é se encaixar no ombro de um fofinho, isso que é conforto. E na hora de dormir de conchinha, então? Parece que a barriga se encaixa perfeitamente na nossa lombar, e fica sensacional.

Homens com barriga não são metidos, nem prepotentes, nem donos do mundo.

Eles sabem conquistar as mulheres por maneiras que excedem a barreira do físico. E eles aprenderam a conversar,a ser bem humorados, a usar o olhar e o sorriso pra conquistar. É por isso que eu digo que homens com barriguinha sabem fazer uma mulher feliz.
 
Dia Internacional da BARRIGA - Está chegando


O mundo inteiro sabe que quem gosta de homem bonito são os viados. Mulher quer homem inteligente, carinhoso e boa praça. Por isto está sendo lançado o dia 05 de Dezembro como o DIA INTERNACIONAL DOS BARRIGUDOS.

Chega de ter a consciência pesada após beber aquela cervejinha, ou aquele vinho, e comer aqueles petiscos.

Nosso Lema: "Mais vale um barrigudinho bom de cama, do que um gostosão fracassado".
Nosso ìdolo: "Homer Simpson".
Nosso Dia: 5 de Dezembro, o Dia Internacional dos Barrigudos.

domingo, 5 de setembro de 2010

Como será a bala de prata na campanha

Luis Nassif, 05/09/2010

Qual a bala de prata, a reportagem que será apresentada no Jornal Nacional na quinta-feira que antecederá as eleições, visando virar o jogo eleitoral, sem tempo para a verdade ser restabelecida e divulgada?


Ontem, no Sarau, conversei muito com um dos nossos convivas. Para decifrar o enigma, ele seguiu o seguinte roteiro:

1. Há tempos a velha mídia aboliu qualquer escrúpulo, qualquer limite. Então tem que ser o episódio mais ignóbil possível, aquele campeão, capaz de envergonhar a velha mídia por décadas mas fazê-la acreditar ser possível virar o jogo. Esse episódio terá que abordar fatos apenas tangenciados até agora, mas que tenham potencial de afetar a opinião pública.

2. Nas pesquisas qualitativas junto ao eleitor médio, tem sobressaído a questão da militância de Dilma Rousseff na guerrilha. Aliás, por coincidência, conversei com a Bibi que me disse, algo escandalizada, que coleguinhas tinham falado que Dilma era "bandida" e "assassina". Aqui em BH, a Sofia, neta do meu primo Oscar, disse que em sua escola - em Curitiba - as coleguinhas repetem a mesma história.

As diversas pesquisas de Ibope e Datafolha devem ter chegado a essa conclusão, de que o grande tema de impacto poderá ser a militância de Dilma na guerrilha. A insistência da Folha com a ficha falsa de Dilma e, agora, com a ficha real, no Supremo Tribunal Militar, é demonstração clara desse seu objetivo. Assim como a insistência de Serra de atropelar qualquer lógica de marketing, para ficar martelando a suposta falta de limites da campanha de Dilma – em cima de um episódio que não convenceu sequer a Lúcia Hipólito.

Aliás, o ataque perpetrado por Serra contra Lúcia – através do seu blogueiro – é demonstração cabal da importância que ele está dando à versão da falta de limites, mesmo em cima de um episódio que qualquer avaliação comezinha indicaria como esgotado.

A quebra de sigilo é apenas uma peça do jogo, preparando a jogada final.
A partir daí, meu interlocutor passou a imaginar como seria montada a cena.

Provavelmente alguém seria apresentado como ex-companheiro de guerrilha, arrependido, que, em pleno Jornal Nacional, diria que Dilma participou da morte de fulano ou beltrano. Choraria na frente da câmera, como o José Serra chora. Aí a reportagem mostraria fotos da suposta vítima, entrevistaria seus pais e se criaria o impacto.

No dia seguinte, sem horário gratuito não haveria maneiras de explicar a armação em meios de comunicação de massa.

Será um desafio do jornalismo brasileiro saber quem serão os colunistas que endossarão essa ignomínia – se realmente vier a ocorrer -, quem serão aqueles que colocarão seu nome e reputação a serviço esse lixo.

Essa loucura - que, tenho certeza, ocorrerá - será a pá de cal nesse tipo de militância de Serra e de falta de limites da mídia. Marcará a ferro e fogo todos os personagens que se envolverem nessa história. Incendiará a blogosfera. Todos os jornalistas que participarem desse jogo serão estigmatizados para sempre.

Todas essas possibilidades são meras hipóteses que parte do pressuposto da falta de limites total da velha mídia.

Mas a hipótese fecha plenamente.

sábado, 4 de setembro de 2010

Manipulações

Fazendo leitura na web, achei um blog interessante. Análise de Conjuntura é nome.
Destaque para este post.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A falta que faz

É muito bom ter tudo num alto padrão.
O problema é que o nível de exigência sobe demais e as frustrações são quase inevitáveis.
Estou sentindo isso na pele.
Muita saudade de outra circunstância, de outro momento.
É muito mais que saudosismo. É sofrer por saber que outra realidade é possível.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Sim, eu sou do Timão!

Não tenho problema algum em mudar de opinião, desde que devidamente convencida.
Sempre tive asco do Corinthians. Tinha prazer em vê-lo perder. Quase o mesmo prazer que tenho ao ver o Flamengo se ferrar (digo quase porque ser antiflamenguista é quase uma religião).

Mas eis que um dia o Conringão contratou Ronalducho, o melhor dos melhores. Aquele encanto de pessoa e master jogador. Ver a festa da torcida corinthiana na recepção de Ronaldinho foi algo que me emocionou.

Daí passei a assistir aos jogos com mais simpatia. Quando dei por mim, gritava a cada gol do Timão.
Quando comecei a frequentar festas e outras atividades do time com meu amado amigo Alencar, selou tudo!

Hoje tenho orgulho de ser uma das loucas a comemorar o centenário do Corinthians!

Parabéns, Corinthians!




Jogo contra o Cerro Porteño, pela Libertadores, no estádio do Pacaembu. (abril/2010)